Por TargetTrust em de de

O que é o SCRUM?

O que é o SCRUM?

Principalmente nos últimos anos, percebe-se uma popularização de termos como Metodologias Ágeis, Agile, Scrum, Kanban. E com estes muito termos diferentes também vieram conteúdos abordando extensivamente variações dos mesmos. Mas afinal, o que é o Scrum? É um método? Uma ferramenta?

Segundo o Scrum Guide, Scrum é “um framework leve que ajuda pessoas, times e organizações a gerarem valor através de soluções adaptativas para problemas complexos”.
Um framework, como nossa instrutora Thays Maziero bem definiu, consiste em “um conjunto de conceitos, valores e práticas que constituem uma forma de ver a realidade. Podemos definir como um conjunto de regras para um jogo”.

Sendo assim, por não haver uma estrutura rígida ou ferramentas específicas para se aplicar o Scrum é que ele é considerado um framework leve. O que existe é este “conjunto de regras” que norteará os envolvidos a gerar valor de maneira adaptativa, criativa e produtiva. Mas por que então costuma-se ver o Scrum relacionado ao Agile e outros frameworks ou métodos? Muito provavelmente por terem sua origem ou desenvolvimento relacionados ao Manifesto Ágil, o qual foi concebido no ano de 2001, alguns anos após o desenvolvimento do Scrum (1990).

 

Em que consiste o Manifesto Ágil?

Este Manifesto foi composto por 17 representantes e idealizadores de frameworks com foco em desenvolvimento ágil de software. Este manifesto não é composto por muitos elementos, mas cada elemento é fundamental para que uma gestão ágil seja posta em prática.
Estes elementos são quatro valores e 12 princípios que este grupo percebeu compartilhar e que faziam sentido e davam embasamento aos seus frameworks. Abaixo, estarão descritos e brevemente explicados cada um deles.

Os quatro valores 

Antes de citar estes valores, é importante deixar claro que apesar de dar mais valor aos itens coloridos (em cima), não significa que o manifesto não julgue relevantes os não coloridos (abaixo). São os valores:

  • Indivíduos e interações > que processos e ferramentas;
  • Software em funcionamento > que documentação abrangente;
  • Colaboração com o cliente > que negociação de contratos e;
  • Responder a mudanças > que seguir um plano.

 

Os 12 princípios do Manifesto Ágil

Dentro do manifesto, os princípios são bastante detalhados, mas são tão relevantes quanto os valores, e orientam o agilista em seu ofício. São eles:

1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente através da entrega contínua e adiantada de software com valor agregado;
2. Mudanças nos requisitos são bem-vindas, mesmo tardiamente no desenvolvimento. Processos ágeis tiram vantagem das mudanças visando vantagem competitiva para o cliente;
3. Entregar frequentemente software funcionando, de poucas semanas a poucos meses, com preferência à menor escala de tempo;
4. Pessoas de negócio e desenvolvedores devem trabalhar diariamente em conjunto por todo o projeto;
5. Construa projetos em torno de indivíduos motivados. Dê a eles o ambiente e o suporte necessário e confie neles para fazer o trabalho;
6. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para e entre uma equipe de desenvolvimento é através de conversa face a face;
7. Software funcionando é a medida primária de progresso;
8. Os processos ágeis promovem desenvolvimento sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter um ritmo constante indefinidamente;
9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumenta a agilidade;
10. Simplicidade – a arte de maximizar a quantidade de trabalho não realizado – é essencial;
11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de equipes auto organizáveis;
12. Em intervalos regulares, a equipe reflete sobre como se tornar mais eficaz e então refina e ajusta seu comportamento de acordo.

Gerencie equipes e projetos utilizando Metodologias Ágeis!

 

Como está composta a base do Scrum? 

O Scrum está formatado sobre três pilares, três papéis e cinco eventos principais. Este formato não é fixo. No entanto, independente das necessidades específicas de cada projeto ou organização, os três pilares empíricos são fundamentais para o funcionamento do framework. São eles: Transparência, Inspeção e Adaptação. Estes se retroalimentam e cada um garante que os outros sejam cumpridos.

 

As funções em um Time de Scrum

Por ter surgido com um propósito principalmente voltado à desenvolvedores ágeis de software, muitos dos termos e bases podem ser orientados à TI, mas não por isto são limitados à apenas esta área. Um Time de Scrum é composto por uma equipe com os seguintes papéis:

  • Scrum Master (SM) – o responsável pela eficácia do Time de Scrum, sendo a referência e o encarregado de manter alinhados a teoria e a prática do Scrum dentro do Time;
  • Product Owner (PO) – responsável pela definição, priorização e distribuição das tarefas buscando o máximo de valor em cada entrega. Sua responsabilidade é a criação do Product Backlog ou Backlog de Produto;
  • Time de desenvolvimento – são os membros da equipe com as habilidades certas para executar as tarefas, sendo então os responsáveis por dar cumprimento ao estipulado pelo PO;

 

Quais os eventos do framework?

O Scrum é executado através de Sprints que buscam entregar o estipulado no Product Backlog. O Product Backlog, criado pelo Product Owner, é uma lista das funcionalidades ou características desejadas do produto/entrega final.

Já as Sprints, como o próprio Scrum Guide diz, são “o coração do Scrum”. Nelas estão contidos os outros principais eventos. Abaixo, detalharemos um pouco mais as próprias Sprints e os eventos que as compõem. Todas as definições a seguir são baseadas no Scrum Guide.

  • Sprints – são eventos recorrentes que possuem uma duração máxima de um mês. São elas que garantem a periodicidade de entregas, permitindo assim a iteração com o cliente e validação (ou não) de cada etapa;

Sprint Planning –  aqui são estipulados: a meta da Sprint, os itens do Product Backlog selecionados para esta Sprint e o plano para a entrega, compondo assim o Sprint Backlog. Ou seja, o começo! Onde é definido o trabalho a ser realizado na Sprint. 

  • Daily Scrum – popularmente conhecido simplesmente como “daily”, são reuniões diárias, como o nome sugere, com duração máxima de 15 minutos. São eventos que buscam inspecionar o progresso em direção à meta da Sprint, identificar impedimentos e promover a rápida tomada de decisões, produzindo um plano de ação para as próximas 24 horas de trabalho.
  • Revisão da Sprint – também com nome autoexplicativo, tem a função de inspecionar o resultado da Sprint e determinar adaptações futuras. Neste evento o Time de Scrum apresenta os resultados para os stakeholders. Graças a isto, este é um dos poucos eventos onde Backlog de Produto pode ser revisto e ajustado.
  • Retrospectiva do Sprint – o seu propósito é planejar maneiras de aumentar a qualidade e a eficácia nas próximas Sprints. É ele que encerra uma Sprint. Nele, Time de Scrum discute os erros e acertos da Sprint e identificam possíveis mudanças para gerar melhorias posteriores no processo.

 

Gostou do nosso texto? Se você quer se especializar em Metodologias Ágeis e aprender como aplicar em sua equipe clique aqui e saiba mais.

TargetTrust

Autor: TargetTrust

Escola de TI e negócios com mais de 25 anos de tradição em formar profissionais qualificados e preparados para o mercado de trabalho. Agora, com aulas EAD para o contínuo aprendizado de nossos alunos! :) #vempratt

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

« Voltar para o início do blog